Postagens populares

domingo, 15 de abril de 2012

Espelho, espelho meu e Once Upon a Time - efeitos diversos

Acabei de assistir ao filme Espelho, espelho meu, estrelado pela atriz Julia Robertos, como a madrasta. Só posso dizer: -Não gostei!

Apesar da atuação da fantástca Julia Roberts que não se enquadrou bem no papel de madrasta má, a Branca de Neve no filme não é encantadora. Independente de estar dentro de padrões comuns de beleza, ou não, a protagonista não se apresentou encantadora ou iluminada no decorrer do filme. O príncipe, embora tenha exibido as formas musculosas, também não se mostrou encantador.

Penso que essa versão não deve ter agradado nem a adultos, nem a crianças, visto que não foi engraçada ou intrigante o suficiente e também não foi leve nem encantadora. Aliás, não trouxe elementos espetacularmente novos, que é o que atrai em contos de fada. Apesar da potagonista não ter comido a maçã ( a patiu e ofereceu um pedaço à bruxa) e o príncipe ter sido enfeitiçado (se comportou como um filhote de cão muito sem graça), não houveram inovações - sem dúvida, as versões anteriores foram melhores.

Já o seriado da SONY ONCE UPON ON TIME tem se revelado um sucesso. Num mix de magia e realidade, a produção conta a história de uma garota que fora salva por sua mãe, a Branca de Neve no mundo da magia. Seu pai, após o nascimento da garota, teve que colocá-la num armário mágico que a teletransportou ao mundo real, e a fizera surgir numa estrada. Encontrada, adotada e depois devolvida, a garota teve um filho e também o pôs para adoção. Este garoto acabou por ter sido criado pela prefeita da cidade, que no mundo da magia é a bruxa que raptou Branca de Neve e seu esposo. Através de um site de pais biológicos, o garoto encontrou sua mãe e ,por meio de um livro em que sua história é contada, e através da sua professora ( que no mundo da magia é sua avó, a Branca de Neve), precisa convencer a sua verdadeira mãe que ela não foi abandonada, mas a mãe dela, a Branca de Neve, tentou dar-lhe o melhor, salvá-la da bruxa.

A história de Once Upon a Time é linda e revela o quanto devemos buscar ver as coisas sobre vários ângulos, inclusive pelo lado positivo. A garota que fora abandonada na história é a filha salva da Branca de Neve. Também nos mostra o quanto precisamos acreditar na magia e na beleza do que pareçe ser impossível. O filme dá uma grande lição de esperança, que é o que falta em muitos de nós. E para outros, é o que movimenta a vida.

Jack and Rose History

Today I watch the movie Titanic, of the writer and director James Cameron, for the umpteenth time. But there are works that every time that we review things and discover new sensations. The story of the protagonists Jack and Rose is fantastic, something romantic movie. But despite "movie seems to be something" in the world there are many Jacks and Roses and many among them I found my story with Geraldo.

In the movie Jack is a player, an adventurer who on day of departure of the ship Titanic, newly built, wins a ticket through a game of luck. On the boat Jack meets Rose, engaged to a millionaire, full of quirks, but with a heart full of emotions and concerns. During the film Jack and Rose discover each other and fall in love bringing the scenes of the film a magical, unforgettable one. During the film in disdain to the onslaughts of an arrogant and ambitious mother and her snobby boyfriend Jack Rose discovers through a free, exciting and realizes that what can bring her happiness is not the money that your boyfriend can provide you. Jack Rose presents a young man full of dreams, smart, and a pure heart and the scene of the Titanic they live a great passion.

At the end of the movie Titanic sinks after hitting an iceberg and Rose and Jack end up trying to save each other amid cries, despair and injustice explained by director James Cameron in the final scenes. Jack dies, Rose survives, thanks to the dedication and love Jack but his own spirit of survivors.

Ah! that word reminds me of so many things ... SURVIVOR. Well, that will be subject to other accounts, who knows.

The fact is that the eyes of Jack and Rose to meet every time I forwarded my story with Geraldo. Jack and Rose first met at the bow of the ship and after that time is not desgrudaram, "something" happened that united their hearts.

Geraldo and I met "in fact" the feast of St. Anthony, June 12 in Campo Formoso, Bahia State, Brazil, and no longer in desgrudamos. Even before that Geraldo had already seen and felt my desire to meet me that day 12 brought us an extraordinary magic.

We know that life is full of meetings, encounters good and bad encounters. The philosopher Spinoza says that the bad encounters diminish our power to act and increase the good (I feel that after June 12 my power to act has increased significantly ... rsrsrsr). But the question is: what happens when two people meet and their hearts are too? What makes someone suddenly reveal to the world the beauty of another person without charges or selfish ambitions?

Well, know that I have read in the eyes of Jack and Rose our own eyes, Geraldo and every day and I realize how truly love beautiful, idyllic love, good love is possible, although there have long since discredited. I never thought to hear nice words and receive kind gestures without having done it before. I never thought anyone could sincerely appreciate others and see the other person all the glitz, all the beauty that anyone has ever been able to see.

I think Jack and Rose brought me a new day. Made me remember that I have in my home all that is most wonderful and important and that despite the day-to-day, that despite the differences and obstacles there is "something" that is superior to all this. And this is just something that makes "all" worth it.

O amor de Sherek e Fiona

Há pouquinho Gê estava assistindo a Sherek para sempre.
No final do episódio Fiona continua na forma de ogra quando o sol aparece e o burro diz:"- Fiona você continua ogra!" e Fiona completa:"- a forma do amor verdadeiro!"
Para ter o amor verdadeiro preciso ser uma ogra? uhauhauhauhauahuahua...
(Do I need to be a ogress?)

Não, não, pessoal, a forma do amor verdadeiro é determinada por sermos nós mesmos, mas também estarmos com a pessoa certa, que é aquela que nos valoriza como somos.

Demorei muito para entender que precisamos aprender a ser escolhidas, não ficar o tempo todo escolhendo, seduzindo e pedindo um namorado. Para sermos escolhidas, precisamos inicialmente gostar de nós mesmas, aprender a nos amar.

Quando nos amamos, nos tornamos pessoas melhores, desejáveis, autênticas e naturalmente bonitas. Ainda que os padrões do mundo do consumo e da moda ditem certas regras, a beleza pode emanar de dentro sim. veja que às vezes acordamos mais bonitas, às vezes acordamos mais feias. Quando estamos felizes, realizadas, espontâneas, a beleza de dentro ilumina tudo que está fora.

Entendi perfeitamente quando a Fiona falou da forma do amor verdadeiro. É a nossa verdadeira forma, e não digo que essa forma deve ficar sem maguiagem, sem saltos altos, sem um belo vestido... Afinal de contas, não moramos num pântano, como no desenho ( pelo menos a maioria de nós...). Mas se morássemos num pântano deveríamos buscar a beleza dentro da nossa cultura, do universo que nos rodeia, mas o segredo é - sem esqueçer do interior, sem esqueçer de se amar.

Também, para sermos escolhidas precisamos estar no lugar certo, vivendo, sem conduzir nossa vida numa busca incansável por uma alma gêmmea, isso cansa! Realmente não podemos determinar se encontraremos e como encontraremos a pessoa certa, mas podemos facilitar.

Um dia minha amiga Mel me disse uma coisa que achei interessante: "- Gisele, a mairia das garotas não consegue arrajar um namorado, ou um bom namorado justamente porque sempre estão no lugar errado. A maioria vai para festinhas e barzinhas, que tipo de homem pretendem encontrar nesses lugares? Num bar, provavelmente encontrarão homens que bebem demais ou que estão atrás de casos fortuitos, sem compromisso. Essas mulheres precisam se colocar nos lugares certos".

Pensei bem e acho que Mel tem razão. Nós mulheres geralmente não esperamos encontrar alguém na biblioteca, no trabalho ou no supermercado. Pelo que tenho visto excelentes relações começam em lugares assim, de maneira inesperada. Ou então através da apresentação de maigos, em eventos particulares, familiares...

Então pessoal, vamos ficar atentos para onde vamos e como agimos. Se amar e estar nos lugares certos pode ser um bom começo para aforma do amor perfeito. E não precisa ser uma ogra pra isso!

Escrevendo sobre culturas escolares e se frustrando sobre os modos de ensinar

Oi gente!

Acordei com uma fome danada, tô aqui escrevendo e lendo um pouco da dissertação sobre o desenvolvimento da disciplina Ciêncais em institutições escolares de Senhor do Bonfim (1951-1975).

Descobri que no século XIX, no Brasil, as escolas secundárias eram voltadas para apreparção ao ensino superior ( engraçado, isso é um Dejávu?). Só após o estabelecimento da republica é que o governo passou a se preocupar com esse nível de ensino, estabelecendo critérios para o ingresso no ensino superior, e tornando o regime seriado e de frequencia obrigatória. Acreditam que as iniciativas de criar um sistema de esnino no nosso país so ocorreram na década de 1930 do século XX? O ministro Francisco Campos é fez a primeira reforma. Imaginem, foi ontem...
Hoje nos preocupamos tanto que as aulas são tradicionais, por ser expositivas... Só que tem um montão de professores que dão aula lendo o livro e nao fazem planejamento. Isso, para os que nãoa creditaram, dão aula lendo o livro, sem explicar. Só que o "sistema' muitas vezes obriga professores a lecionarem disicplinas com as quais não têm uma mínima intimidade, só para cumprir carga horária. E você acha que o ensino feito desta maneira é de qualidade? Só em sonho!

É por isso que fico frustrada! Enquanto existem pessoas preocupadas com os problemas educacionais, outras não estão nem aí, outras se tornam reféns do sistema e outras se matam para fazer algo a respeito.

Por isso meu caro leitor, me desculpem, mas vou vanegar na história. É ela que nos dá subsídios para compreender melhor o presente e pensar acerca das alternativas que são dispostas para resolver os problemas que vão surgindo.