Postagens populares

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Mais sobre o nióbio

Gente encontrei uma reportagem mais completa que trata sobre a questão do nióbio no país. É a Molycorp a empresa que mais exporta o elemento no mundo, que retira do nosso país. É a mesma que finacia o FOME ZERO. Bom ficar de olhos abertos...
http://www.anovademocracia.com.br/no-27/571-a-questao-do-niobio--ou-diga-nao-a-doutrina-da-subjugacao-nacional

O Brasil e suas riquezas de Nióbio

Você sabe o que é nióbio? É uma substância utilizada em ligas de aço e metálicas, de grande rigidez e durabilidade. É utilizado na fabricação de foquetes, mísseis, reatores nucleares, etc.
É incrível descobrir que temos muito nióbio no Brasil, principalmente localziado na Amazônia. Soube disso assistindo a uma entrevista com o falecido Dr. Enéas (http://www.youtube.com/watch?v=WQhR0Dvtnn8&feature=related) onde relata a existência do nióbio no país. Daí descobrio um site que denuncia o interesse de ONGs internacionais nas regiões amazoneses ricas em nióbio.
Assims equestiona se o Brasil é mesmo o país que possui mais nióbio no mundo e este é fundamental na produção de materiais muito importantes no universo da ciência e tecnologia por que não somos referência mundial no fornecimento deste? vamos refletir sobre isso.

Veja  reportagem em http://www.recantodasletras.com.br/artigos/1050659.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Andamento da greve dos professores

Estou muito feliz com a coragem dos professores em greve. Me refiro tanto aos professores do Estado da Bahia, que após muitos anos de desvantagem salarial finalmente se organizarem para reivindicar seu direito de melhoria salarial, quanto aos professores das universidades. 
Também tenho orgulho de ser uma professora universitária grevista, de uma das 55 Instituições de Ensino Superior (IES) envolvidas com o ato reivindicatório que têm buscado a melhoria da qualidade do ensino superior. Digo respeitabilidade, por compreender que precisamos fazer valer o princípio constitucional da DIGNIDADE HUMANA. Viver com uma remuneração defasada inviabiliza a operacionalização deste princípio nas nossas vidas. Como garantir educação, saúde, moradia, lazer entre outras coisas com um orçamento tão apertado? Mensalmente fico triste ao abrir meu contracheque e perceber que em outras carreiras no Brasil um rofissional que possui apenas o nível médio ingressa no emprego ganhando muito mais do que eu ( merecidamente, é claro). 
O que quero expressar é que nós, professores universitários, nos desgastamos muito para exercer nossa profissão. Considerando que passamos muitos anos nos empenhando como alunos da Educação Básica, depois no ensino superior, na especialização, no mestrado e no doutorado e mesmo assim NUNCA DEIXAMOS DE ESTUDAR, nossa remuneração é de fato irrisória. A nós é atribuído o papel de auxiliar no desenvolvimento científico e tecnológico do país, sem que possamos oferecer uma existência digna e confortável aos nossos filhos - como isto é contraditório!
Trato da necessidade de melhorias na remuneração sim! Também existem vários outros fatores que tiram nossa DIGNIDADE HUMANA, em relação às condições de trabalho, incentivo à pesquisa etc, mas vivemos numa sociedade capitalista e sabemos que para que nossos filhos possam fazer tratamento dentário, estudar numa boa escola ( geralmente particular visto que como a educação ainda não é tratada como prioridade no país, temos conhecimento que boa parte das esoclas públicas não são a melhor escolha), pagar as contas mensais, comprar alimentos, entre outras necessidades, o capital é primordial ( e que se mordam os que ignoram isso).
É imprescindível que mantenhamos as negociações para que possamos respeitar a nós mesmos até que uma boa proposta surja. Às vezes faz-se necessário galgar o respeito quando ele não vem sozinho. O movimento cresce a cada dia, hoje contamos com o apoio de alunos, técnicos, além de servidores do ensino Técnico e Tecnológico Federal. Percebo que este movimento tem sido uma grande AÇÃO POPULAR a favor da valorização da educação, um grande passo para a carreira docente seja RESPEITADA.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Escolas privadas são menos equipadas que públicas

Recebi a seguinte mensagem "Escolas privadas são menos equipadas que públicas". Talvez estes dados estejam corretos, não sei. Mas, preciso destacar algumas questões:
Não adianta ter estrutura na escola se esta não é utilizada. O que tenho visto nos últimos sete anos, é que, de fato, as escolas públicas do interior da Bahia têm elaborado seus Projetos Políticos Pedagógicos e Planos de Desevolvimento (o que dantes não se ouvia falar) e, desta forma, têm se equipado estruturalmente e tecnologicamente, de acordo com suas necessidades. Entretando, o grande problema nestas escolas é de recursos humanos - existem muitos professores despreparados, ou alocados em disciplinas que não são de sua área de formação, ou desmotivados, ou acomodados e que não colaboram com o desenvolvimento institucinal. Realmente, o papel social atribuído ao professor hoje é reduzido em relação ao que ouvimos falar de outros tempos. Também a difusão da informação, a distorção de condutas e a ausência de participação das famílias também são fatores responsáveis pelo problema com os recursos humanos - os professores não são valorizados, não reconhecem sua importância ou se sentem desprestigiados e não dão o máximo de si..

Vivenciei alguns anos de minha vida como aluna de escolas particulares e outros como professora de escola pública. Percebi o que, muita vezes os recursos existentes nas escolas públicas não são tão insuficientes, mas a posição do professor nestes dois espaços é bem diversa. Nas escolas particulares o professor muitas vezes trabalha para trocar de carro, comprar casa. Nas escolas públicas, a grana não dá, mas há mais espaço para o descompometimento. Como quem trabalha no ambiente escolar conhece os problemas que ali habitam, inclusive de desprestígio da categoria, isso se transforma num pacto compartilhado, aquela pequena sociedade vivencia sua cultura específica de forma a buscar minimizar as distorções, as dores mútuas, relevando os impactos que isso causa na qualidade educacional.

Por isso compreendo que a valorização da categoria é imprescindível para uma reforma educacional. Não só para que quem esteja nesta função seja beneficiado, mas que a docência possa atrair pessoas com competêncais diversas - criatividade, dinamismo, raciocínio lógico rápido e aprimorado... Não seja uma opção para quem não têm mehores oportunidades ou para quem precise de trabalho rápido.
A docência poderia ser uma escolha prioritária nos vestibulares, e demais exames. Entretanto, isto não acontece, não sei como poderia ser aplicado em relação aos investimentos nessa área, do jeito que está, não seriam suficientes. Tudo isso depende da ação popular e de políticas públicas "profundas" ( não encontrei outra palavra para explicar.

domingo, 13 de maio de 2012

Existem pessoas que nunca deixam de existir

Existem pessoas que nunca deixam de existir. Einstein, Newton, Lavoisier, Rutheford, Gilberto Shaw...
Essas pessoas conseguem ser inesquecíveis, pois o que construiram em vida nunca morre. Ensinamentos, saberes, aprendizagem, coisas feitas, ditas e não ditas que mudaram outras vidas.
Assim, a condição de existência supera o âmbito da matéria. Duvido de René Descartes, que existe apesar de estar aqui não deve pensar, mas existe em nossas mentes, em nossos livros, em nossos corações.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Como o amor é fantástico!



Às vezes penso sobre como o amor é fantástico. Sobre como é maravilhoso estar com alguém que não se preocupa com suas olheiras, com seus excessos de peso, nem com seus mau humores. É lógico que estar com um ânimo ruim não ajuda muito  a relação. Mas é muito bom ser amada.
Antes achava que o amor era algo preso, ser de alguém significava fazer tudo pelo outro e estar sempre disponível. Hoje vejo que não estar disponível o tempo todo apimenta o amor.
Precisamos gostar de nós mesmas, pensar em nós, fazer coisas sozinhas, rir sem a presença dele. Precisamos nos amar e ser felizes independente da presença do outro.
Gostaria de ser uma mosquinha e poder assistir, de longe, como é minha vida, como reajo com os outros, com o meu amado e buscar avaliar se realmente faço o que é certo.
Porém, não dá para ver de fato fazemos o que deveríamos fazer, às vezes não somos o que os outros pensam que somos, mas o que pensamos ser. Ou será que somos as imagens que projetamos nos outros? A existência não é algo fácil! Talvez ser não seja fácil, mas existir já é suficiente.

domingo, 15 de abril de 2012

Espelho, espelho meu e Once Upon a Time - efeitos diversos

Acabei de assistir ao filme Espelho, espelho meu, estrelado pela atriz Julia Robertos, como a madrasta. Só posso dizer: -Não gostei!

Apesar da atuação da fantástca Julia Roberts que não se enquadrou bem no papel de madrasta má, a Branca de Neve no filme não é encantadora. Independente de estar dentro de padrões comuns de beleza, ou não, a protagonista não se apresentou encantadora ou iluminada no decorrer do filme. O príncipe, embora tenha exibido as formas musculosas, também não se mostrou encantador.

Penso que essa versão não deve ter agradado nem a adultos, nem a crianças, visto que não foi engraçada ou intrigante o suficiente e também não foi leve nem encantadora. Aliás, não trouxe elementos espetacularmente novos, que é o que atrai em contos de fada. Apesar da potagonista não ter comido a maçã ( a patiu e ofereceu um pedaço à bruxa) e o príncipe ter sido enfeitiçado (se comportou como um filhote de cão muito sem graça), não houveram inovações - sem dúvida, as versões anteriores foram melhores.

Já o seriado da SONY ONCE UPON ON TIME tem se revelado um sucesso. Num mix de magia e realidade, a produção conta a história de uma garota que fora salva por sua mãe, a Branca de Neve no mundo da magia. Seu pai, após o nascimento da garota, teve que colocá-la num armário mágico que a teletransportou ao mundo real, e a fizera surgir numa estrada. Encontrada, adotada e depois devolvida, a garota teve um filho e também o pôs para adoção. Este garoto acabou por ter sido criado pela prefeita da cidade, que no mundo da magia é a bruxa que raptou Branca de Neve e seu esposo. Através de um site de pais biológicos, o garoto encontrou sua mãe e ,por meio de um livro em que sua história é contada, e através da sua professora ( que no mundo da magia é sua avó, a Branca de Neve), precisa convencer a sua verdadeira mãe que ela não foi abandonada, mas a mãe dela, a Branca de Neve, tentou dar-lhe o melhor, salvá-la da bruxa.

A história de Once Upon a Time é linda e revela o quanto devemos buscar ver as coisas sobre vários ângulos, inclusive pelo lado positivo. A garota que fora abandonada na história é a filha salva da Branca de Neve. Também nos mostra o quanto precisamos acreditar na magia e na beleza do que pareçe ser impossível. O filme dá uma grande lição de esperança, que é o que falta em muitos de nós. E para outros, é o que movimenta a vida.

Jack and Rose History

Today I watch the movie Titanic, of the writer and director James Cameron, for the umpteenth time. But there are works that every time that we review things and discover new sensations. The story of the protagonists Jack and Rose is fantastic, something romantic movie. But despite "movie seems to be something" in the world there are many Jacks and Roses and many among them I found my story with Geraldo.

In the movie Jack is a player, an adventurer who on day of departure of the ship Titanic, newly built, wins a ticket through a game of luck. On the boat Jack meets Rose, engaged to a millionaire, full of quirks, but with a heart full of emotions and concerns. During the film Jack and Rose discover each other and fall in love bringing the scenes of the film a magical, unforgettable one. During the film in disdain to the onslaughts of an arrogant and ambitious mother and her snobby boyfriend Jack Rose discovers through a free, exciting and realizes that what can bring her happiness is not the money that your boyfriend can provide you. Jack Rose presents a young man full of dreams, smart, and a pure heart and the scene of the Titanic they live a great passion.

At the end of the movie Titanic sinks after hitting an iceberg and Rose and Jack end up trying to save each other amid cries, despair and injustice explained by director James Cameron in the final scenes. Jack dies, Rose survives, thanks to the dedication and love Jack but his own spirit of survivors.

Ah! that word reminds me of so many things ... SURVIVOR. Well, that will be subject to other accounts, who knows.

The fact is that the eyes of Jack and Rose to meet every time I forwarded my story with Geraldo. Jack and Rose first met at the bow of the ship and after that time is not desgrudaram, "something" happened that united their hearts.

Geraldo and I met "in fact" the feast of St. Anthony, June 12 in Campo Formoso, Bahia State, Brazil, and no longer in desgrudamos. Even before that Geraldo had already seen and felt my desire to meet me that day 12 brought us an extraordinary magic.

We know that life is full of meetings, encounters good and bad encounters. The philosopher Spinoza says that the bad encounters diminish our power to act and increase the good (I feel that after June 12 my power to act has increased significantly ... rsrsrsr). But the question is: what happens when two people meet and their hearts are too? What makes someone suddenly reveal to the world the beauty of another person without charges or selfish ambitions?

Well, know that I have read in the eyes of Jack and Rose our own eyes, Geraldo and every day and I realize how truly love beautiful, idyllic love, good love is possible, although there have long since discredited. I never thought to hear nice words and receive kind gestures without having done it before. I never thought anyone could sincerely appreciate others and see the other person all the glitz, all the beauty that anyone has ever been able to see.

I think Jack and Rose brought me a new day. Made me remember that I have in my home all that is most wonderful and important and that despite the day-to-day, that despite the differences and obstacles there is "something" that is superior to all this. And this is just something that makes "all" worth it.

O amor de Sherek e Fiona

Há pouquinho Gê estava assistindo a Sherek para sempre.
No final do episódio Fiona continua na forma de ogra quando o sol aparece e o burro diz:"- Fiona você continua ogra!" e Fiona completa:"- a forma do amor verdadeiro!"
Para ter o amor verdadeiro preciso ser uma ogra? uhauhauhauhauahuahua...
(Do I need to be a ogress?)

Não, não, pessoal, a forma do amor verdadeiro é determinada por sermos nós mesmos, mas também estarmos com a pessoa certa, que é aquela que nos valoriza como somos.

Demorei muito para entender que precisamos aprender a ser escolhidas, não ficar o tempo todo escolhendo, seduzindo e pedindo um namorado. Para sermos escolhidas, precisamos inicialmente gostar de nós mesmas, aprender a nos amar.

Quando nos amamos, nos tornamos pessoas melhores, desejáveis, autênticas e naturalmente bonitas. Ainda que os padrões do mundo do consumo e da moda ditem certas regras, a beleza pode emanar de dentro sim. veja que às vezes acordamos mais bonitas, às vezes acordamos mais feias. Quando estamos felizes, realizadas, espontâneas, a beleza de dentro ilumina tudo que está fora.

Entendi perfeitamente quando a Fiona falou da forma do amor verdadeiro. É a nossa verdadeira forma, e não digo que essa forma deve ficar sem maguiagem, sem saltos altos, sem um belo vestido... Afinal de contas, não moramos num pântano, como no desenho ( pelo menos a maioria de nós...). Mas se morássemos num pântano deveríamos buscar a beleza dentro da nossa cultura, do universo que nos rodeia, mas o segredo é - sem esqueçer do interior, sem esqueçer de se amar.

Também, para sermos escolhidas precisamos estar no lugar certo, vivendo, sem conduzir nossa vida numa busca incansável por uma alma gêmmea, isso cansa! Realmente não podemos determinar se encontraremos e como encontraremos a pessoa certa, mas podemos facilitar.

Um dia minha amiga Mel me disse uma coisa que achei interessante: "- Gisele, a mairia das garotas não consegue arrajar um namorado, ou um bom namorado justamente porque sempre estão no lugar errado. A maioria vai para festinhas e barzinhas, que tipo de homem pretendem encontrar nesses lugares? Num bar, provavelmente encontrarão homens que bebem demais ou que estão atrás de casos fortuitos, sem compromisso. Essas mulheres precisam se colocar nos lugares certos".

Pensei bem e acho que Mel tem razão. Nós mulheres geralmente não esperamos encontrar alguém na biblioteca, no trabalho ou no supermercado. Pelo que tenho visto excelentes relações começam em lugares assim, de maneira inesperada. Ou então através da apresentação de maigos, em eventos particulares, familiares...

Então pessoal, vamos ficar atentos para onde vamos e como agimos. Se amar e estar nos lugares certos pode ser um bom começo para aforma do amor perfeito. E não precisa ser uma ogra pra isso!

Escrevendo sobre culturas escolares e se frustrando sobre os modos de ensinar

Oi gente!

Acordei com uma fome danada, tô aqui escrevendo e lendo um pouco da dissertação sobre o desenvolvimento da disciplina Ciêncais em institutições escolares de Senhor do Bonfim (1951-1975).

Descobri que no século XIX, no Brasil, as escolas secundárias eram voltadas para apreparção ao ensino superior ( engraçado, isso é um Dejávu?). Só após o estabelecimento da republica é que o governo passou a se preocupar com esse nível de ensino, estabelecendo critérios para o ingresso no ensino superior, e tornando o regime seriado e de frequencia obrigatória. Acreditam que as iniciativas de criar um sistema de esnino no nosso país so ocorreram na década de 1930 do século XX? O ministro Francisco Campos é fez a primeira reforma. Imaginem, foi ontem...
Hoje nos preocupamos tanto que as aulas são tradicionais, por ser expositivas... Só que tem um montão de professores que dão aula lendo o livro e nao fazem planejamento. Isso, para os que nãoa creditaram, dão aula lendo o livro, sem explicar. Só que o "sistema' muitas vezes obriga professores a lecionarem disicplinas com as quais não têm uma mínima intimidade, só para cumprir carga horária. E você acha que o ensino feito desta maneira é de qualidade? Só em sonho!

É por isso que fico frustrada! Enquanto existem pessoas preocupadas com os problemas educacionais, outras não estão nem aí, outras se tornam reféns do sistema e outras se matam para fazer algo a respeito.

Por isso meu caro leitor, me desculpem, mas vou vanegar na história. É ela que nos dá subsídios para compreender melhor o presente e pensar acerca das alternativas que são dispostas para resolver os problemas que vão surgindo.

sábado, 14 de abril de 2012

Vídeos populares

Minha amiga Raquel é uma excelente comunicóloga. Se twitter é acessadíssimo, seu face é maravilhoso, seu orkut é bem bonito. Além disso ela faz documentários interessantes e reportagens. Mas porque será que as pessoas preferem vê-la escovando o cabelo?

Ontem ela me ligou e disse estar frustada: - Não entendo, Gi, passei 4 meses fazendo o documentário sobre a história de Itabuna e só tive 200 acessos... Dia desses testei escvar meu cabelo com um secador especial, que seca e alisa, gravei e pus no you tube e tive mais de 1500 acessos. O que fazer para atrair o interesse das pessoas e me tornar um sucesso? ( um sucesso em si ela já é, pois tem talento!).

Bom, essa questão de fato me motivou a dar uma olhadinha na estatística desse blog e pude perceber que a postagem mais acessada é a que trata da história de Jack e Rose em Ttanic. Daí entendi porque este filme foi relançado no cinema, só que em 3D.

Disse para Raquel que ela deveria falard e AMOR. Todo mudo gosta desse assunto, ainda que não reconheça. Vivemos amor, respiramos amor, o amor nos elouquece, o amor nos consome...

Ela disse que tratará desse tema, de uma maneira polêmica,e specífica e engraçada.

É, o novo documentário da inha amiga será um sucesso, será que ela deixa eu postar um link aqui? Se deixar a gente dá uma espiada...

É, só o amor mesmo para dar uma guinada nas coisas...

Doideira geral nos preços!!!

Hoje Gê e eu fomos ao supermercado e à feira livre.
Antes, comprava frutas, legumes e verduras no mercado. Mas há uma diferença enorme nos preços!
Comprei um kg de tomate na feira por 1 real! Nem acreditei! Antes, comprava esse kg de tomate por 2 reais, 2,5 ...
Bom, no supermercado foi uma loucura: gente prá caramba e preços exorbitantes. Gente, uma polpa de suco de cajá por 1,03 reais! Pense, melhor comprar o suco pronto, na lanchonete, assim você economiza açúcar!
Como tinha resolvido fazer uma fazer uma feijoada para almoçar no domingão tive que comprar feijão preto: 6,50 reais o quilo!
Meu pai, o mundo tá perdido! Fora as carnes, linguiça, complementos... ( o bom é que dá pra congelar, se comer no restaurante, só dá para um almoço!)
Um quilo de carne do sol por 19,50 reais!!! Meu pai, vamos ser vegetarianos por um tempo?
Quatro rolos de papel higiênico, de 60 m cada, por 4,20 reais! Gente, até para limpar a b...
Caminhando mais um pouco quase tive um troço: um litro de água sanitária, 2 reais! Temos que economizar até para desinfetar a casa e tirar manchas das roupas brancas?

Bom, resolvi deixar algumas coisas para comprar num mercadinho de bairro, estavam mais baratos lá.
Os pacotes de leite e os refris, resolvi comprar na Cesta do Povo, é o lugar mais barato para isso.

Se tempo é dinheiro e precisamos gastar muito tempo para fazer compras, então economizar também é gastar dinheiro. Portanto, estamos perdidos de qualquer forma.

Então caros colegas, não sei mais o que fazer. O Atacadão que me aguarde, estarei lá em breve!

Bom sábado a todos, tá passando um documentário massa sobre como lidar com crianaçs autistas e o final de o Exorcismod e Emily Rose. Hhuhuhuhuhuuh....

Bjs.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Às vezes me sinto triste

Muitas coisas me fazem felizes, mas percebo que não sou mais nem tão sorridente, nem mais tão feliz como antigamente.
Acho isso engraçado, pois antes, tinha menos condições sociais, não tinha um bom marido, meus filhos eram menores, assim davam muito trabalho... Também não tinha uma casa ( ainda que financiada), nem um carro ( ainda que velho), ou sogros maravilhosos.
Tenho tudo para ser feliz, um emprego efetivo e tudo o que citei. Mas... não sei porque me sinto tão triste.
Antigamente, gostava muito de me arrumar, comprar roupas novas, mexer no cabelo. Não saía enquanto não me sentisse perfeita, sempre estava de dieta, sempre me achando gorda...rsrrs (minhas amigas sempre me contam sobre isso). Mas porque então me sinto infeliz? É estado de espírito? É desespero? POR QUE MEU PAI?
Não sei. Parece que ando tratando da vida como se eu fose uma grande esponja, absolvendo os problemas de outras pessoas, qualquer indiferença de meu marido ( que talvez só seja impressão minha), qualquer filme triste...

Ai meu pai, há tanta luz no mundo, porque a escuridão me persegue?

Meu niver

Uma aluna me disse: Pró é seu aniversário, precisa comer uma pizza!
Resolvi que precisava sim. Beto, Paulo e eu fomos ao centro e compramos umas mini pizzas. Encontramos algumas pessoas no caminho, bati uns papos rápidos, sentamos em frente à TV e comemos pizzas assistindo ONCE UPON ON TIME. Foi muito gostoso!
às vezes as coias mais simples são as que fazem você feliz!!!

Psit: Que aluna mais sabida sô!!!!

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Meu aniversário

Oi pessoal! Hoje é meu aniversário.

Completo a idade de Cristo. Por mais que para mim este seja um dia especial acordei triste. Já chorei prá caramba, meu Gê e eu nos estranhamos antes de dormir. Aí fico sem sentido, sem vontade, sem alegria, pois o amo muito.

Porém, me senti amada. As pessoas mais especiais no mundo para mim lembraram da data: meus filhos Gilbertinho e Paulinho, Minha irmã Érika ( a danada me ligou a meia noite - Não tem o que fazer não é ? kkkk), minha mãe Estela, Minhas tias Ana e Joice e até Daiane, minha amiga de infância. Percebi que tenho alguma importância no mundo além da criação dos meus filhos.

Antes pensava que tinha que ser a melhor professora do mundo, mas de uns tempos prá cá tenho ficado triste com o que tenho visto na educação. Os alunos tem ficado muito desisteressados, não respeitam os professores ( ainda que façam o melhor trabalo possível), não obedecem aos horários, nem cumprem as tarefas. Meus alunos de estágio me contam muitas coisas tristes e fico bem chateada com tudo. Gostaria muito que fosse diferente. Sem fui sonhadora e depois que passei a lecionar sempre acreditei que poderia mudar alguma coisa, em alguém, na vida de alguém. Mas cada vez a situação educativa me preocupa mais. Enquanto cuido dos filhos de muitos, na universidade, os meus têm que estudar sozinhos, pois não tenho tempo.
Mas, apesar de tudo acredito que tudo vai melhorar. A esperança reside em mim, por mais que diga que não.

Paulo fez uma carinha de papel e um jogo da memória de objetos escolares em inglês e me deu de presente. Colei a carinha na agenda, ele disse que era a cara dele. E jogamos juntos. ganhei outro presente, estava passando um dos meus filmes preferidos ADORÁVEIS MULHERES. Isso prá mim foi demais, chorei prá caramba com a história. Fiquei feliz.

Espero que Gê mude de idéia e pare com a birra antes do final deste dia, é o presente que espero.

Grande beijo e um excelente 12 de abril para todos!

segunda-feira, 9 de abril de 2012

FGV e Senado, quais relações?

Perscrutando os resultados do concurso para cargos do Senado Federal 2012, promovido pela FGV pude perceber o descontentamento das pessoas com as ações desta instituição. Queixas de falta de provas, plágio de questões, má preparação dos aplicadores das provas, anulação de provas, inexatidão e descaso ao responder aos recursos proferidos são alguns dos problemas indicados em sites, fóruns e blogs sobre a atuação da FGV neste concurso. Pude perceber também que não é o primeiro envolvimento da FGV com o Senado. Vejam os apontamentos encontrados:
  • A FGV fez consultoria para o Senado mais de uma vez:

27/05/2010 10h32 - Por Bandnews

Senado recontrata FGV para fazer nova consultoria

O Senado recontratou a Fundação Getúlio Vargas para fazer uma nova proposta de Reforma Administrativa. Na primeira tentativa, a ideia era cortar gastos desnecessários, o que não aconteceu. O outro relatório da FGV foi considerado superficial pelo relator da comissão, que analisa a reestruturação da casa. E agora o Senado paga duas vezes pela mesma consultoria. Visite o UOL Notícias

http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?video=senado-recontrata-fgv-para-fazer-nova-consultoria-0402183772E4B92386

Ver também:

http://www.portalhoje.com/sarney-se-contradiz-e-senado-chama-fgv-para-nova-reforma/1440687

  • No próprio Manual de Elaboração de textos do Senado a FGV aparece como exemplo ( assim como outras instituições, é editora FGV?):

Página 54 do Manual de Elaboração de textos do Senado

Exemplos:

CONJUNTURA ECONÔMICA. As 500 maiores empresas do Brasil. Rio de Janeiro : FGV, v. 38, n. 9, set. 1984.

CONJUNTURA ECONÔMICA. As 500 maiores empresas do Brasil. Rio de Janeiro : FGV, n. 38/9, set. 1984.

  • Vejam:

FGV já havia apontado mazelas do Senado há 14 anos

http://www.jornalpequeno.com.br/2009/5/14/Pagina108220.htm


Por que o Senado não fez licitação para o concurso? Houve dispensa? Houve justificativa?
São apenas alguns questionamentos para que se possa refletir acerca da condução de um concurso público para cargos de alto nível, de âmbito nacional.

domingo, 8 de abril de 2012

Titanic 3 D

Oi pessoal!

Já está disponível o Titanic 3 D. Já pensou? Mergulhar no mar junto aJack e Rosa, estar junto ao momento em que ele pinta a tela, perceber o vento sobre o casal quando eles ficam na ponta do navio...
Cada vez mais a ficção nos faz navegar por um mundo imaginário, das ilusões. Neste universo, podemos ser quem desejamos, ter o que gostaríamos, além de viver o inimaginável.
Hoje posso viver um pouco do amor de Rose, só que mais real. Não estou no Titanic, mas em casa, entre impasses e panelas, mas compartilhando de momentos do dia a dia, das dificuldades e parcerias.
Fico feliz em ser esta Rose, despreocupada, livre, amada. Posso dizer que no real não tenho os dois primeiros, mas o terceiro... me faz muito feliz.

Bjim.

Notícias dos concursos que fiz

Oi pessoal! Hoje vou relatar os resultados de alguns concursos que fiz, após decidir em novembro do ano passado a mudar de emprego.

Fiz dois concursos para tribunais, na área administrativa - quase fechei as questoes específicas, também, me acabei de estudar nas férias, o melhor momento para isto, além do carnaval, quando todo mundo estava curtindo. Porém, levei bomba em Português e Informática acreditam? Nunca vi tantos adjuntos, frases subordinadas substantivas, não sei que mais e coisa e tal. Também não estava por dentro das facilidades do BR Oficce e das questoes de excel envolvendo fórmulas que não acabavam mais. Assim, fiquei entre os 400 ou 500 colocados nos dois concursos, apesar de quase fechar as específicas ( o qeu consegui a custas de madrugadas estudando...), mas isto não foi suficiente pra estar entre os primeiros. Para encarar a área alheia com dignidade preciso de pelo menos mais uns dois anos para estudar, assistir a vídeos aulas e coisa e tal.

Na minha área fiz dois concursos também. Um para o TSE e outro para o Senado Federal. No segundo, não fui para a segunda etapa por conta de 4 questões, de português e atualidades, acredita? Fiquei p. comigo mesma por não saber as regras gramaticais na palma da mão e ter confundido complemento nominal com adjunto adnominal. Porém, não me culpei por não saber a maioria das questões de atualidades, visto que teria que terciência acerca das aantes de JFK e sobre os atuais presidentes da Petrobrás, missão que requer uma alienação televisiva sem igual. Já na prova objetiva do TSE, fiquei em 27º ( em mais de 4000) e tirei 9,3 na redação o que considero um avanço sem igual. Imagino que não serei a primeira colocada, visto que não terminei o mestrado e assim não devo ter vantagem na prova de títulos. Mas me senti ótima pelo resultado, ora bolas, é um concurso de âmbito nacional. Logo, concluo que estudando mais um pouco de conhecimentos gerais e português estarei quase pronta para próxima.

Entretanto, preciso terminar meu mestrado, finalizar a tal dissertação. Gosto muito desta danada, até namoro com a tal constantemente, mas a dissertação tem dificultado muito as coisas. Logo que defendê-las e pretendo fazê-lo em junho/julho voltarei a estudar para os concursos. Estou animada para tal, até presenteei meu marido com o livro do Hely Lopes, o chamego do direito Administrativo.

Assim pessoal, vou meter as caras na dissertação e retornarei à guerra dos concursos a partir do próximo semestre. Até porque, no mês de março recebi minha última bolsa PIBID, meu subprojeto acabou e era com esta grana que financiava meu mestrado, além de provas e viagens para fazer os concursos. Assim, como diria meu amado pai, agora:
EU SOU POBRE, POBRE, POBRE DE MARRÉ MARÉ MARRÉ, EU SOU POBRE, POBRE, POBRE DE MARRÉ DECI ( acho que a musica era assim).

Bom, de qualquer maneira, vamos à dissertação, minha próxima meta. Com o gratificação por esta titulação financiarei minha próxima meta: voltar aos concursos. E lá vamos nós...

Sobre alunos

Não entendo porque alunos muitas vezes tem mania de acender à autodestruição, atualmente trato este fenômeno relacionando-o com a ação de alunos universitários.
Alguns professores planejam as aulas com afinco, outros improvisam;
Uns professores estudam muito, para dinamizar o diáogo com os alunos, outros apenas dizem amém;
Alguns professores refletem sobre estratégias que possibilitem uma aprendizagem mais efetiva, outros abrem seus cadernos amarelados e repete as mesmas aulas, independentemente de turma ou geração;
Aguns professores acompanham de perto, questionam o desinteresse, cobram resultados, incentivam o estudo, outros são apenas amiguinhos;
Uns professores estabelecem regras, dialogam razões, outros fazem vontades...
Sabe oq ue geralmente acontece?

Boa parte dos alunos:

Esqueçem os professores que estudam e planejam com afinco;
Denominam como chatos e rígidos os professores que cobram resultados, que incentivam o estudo e estabelecem regras;
Ignoram os professores que se dedicam, se chateiam e pegam no pé em função dos professores que dizem amém.

Mais para frente:

A própria vida ensina que aqueles professores "chatos" foram justamente aqueles que ensinaram a viver. E que os professores "amiguinhos" continuam a puxar o saco, agora de outros alunos, em busca de votos, colaboração apoio, mas que na verdade não apoiam sua formação, a construção de saberes a formação de atitudes de compromisso, dedicação, respeito.
Assim, como ensinam os velhos sábios, o ideal é nos colocar no lugar de nossos professores e analisar o que se passa por detrás de suas atitudes.
Os professores "chatos" podem não ser os homenageados da turma, mas são aqueles que justamente nos farão fazer a diferença!

Sobre a reforma previdenciária II

Leiam a seguinte notícia disponível no site SINDIRECEITA (http://www.sindireceita.org.br/2012/03/29/senado-aprova-novo-regime-previdenciario-para-servidores-publicos-federais/): "O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira (28) o novo modelo de previdência do servidor público federal. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 02/2012, aprovado em votação simbólica, acaba com a garantia de aposentadoria integral a servidores que recebam acima do teto do Regime Geral da Previdência Social, de R$ 3.916,20. Para ganhar acima desse valor, será preciso aderir à previdência complementar. A regra será obrigatória para quem ingressar no serviço público depois da implementação da lei, mas não atingirá os atuais servidores."
Lembram que tratei anteriormente desta reforma? Os novos servidores federais terão um teto máximo ( que mais parece com mínimo) de aposentadoria para que se possa conter os enormes gastos públicos gerados pelo atual regime. Será que não haveria outra maneira de manter o equilíbrio econômico financeiro das finanças públicas?
Bom, o fato é que a proposta foi feita, o senado aprovou emuita gente não viu. ATENÇÃO BRASIL!
Me preocupo com os futuros servidores públicos que poderão ser meus filhos, seus filhos, os filhos dos outros.
Era uma vez uma época que as pessoas não tinham in teresse em adentrar no serventuarismo público. Por que será afinal? Pergunte a seus avós...

terça-feira, 20 de março de 2012

Um dia por vez

Hoje, assistindo a Ghost Whisperer, ouvi algo que achei pertinente e necessário. Um dos personagens afirmou acerca da importância de viver um dia de cada vez, ao máximo. De fato, vivemos num mundo tão volátil, como diria Bauman, numa "modernidade líquida", fluida, fugidia, que não nos damos conta de como o tempo passa depressa. O tempo, algo talvez abstrato, foge de nós com uma velocidade incrível, nos preocupamos com tudo, até em ganhar tempo, mas não com sua perda.
É necessário nos atentarmos para de que maneira dedicamos o nosso tempo. Sabemos de fato apreciar o que temos? Consideramos o valor da nossa família?
Meu marido chegou, meus filhos também, dá liçensa, mas vou gastar bem meu tempo.

sábado, 3 de março de 2012

Estudando para o concurso - sobre as constituições

As constituições brasileiras sempre foram marcadas por mudanças políticas bruscas. Vejamos essas mudanças e as constituições resultantes:
- Independência do Brasil (1922) => CF/1824;
- Proclamação da República (1889) => CF/1991 - fim do voto censitário;
- Revolução de 1930 => CF/1934, voto das mulheres;
- Golpe de Estado e imposição do Estado Novo => CF/1937;
- Redemocratização (1945) => CF/1946;
- Golpe de Estado de 1964 => outorgada CF/19637;
- Redemocratização de 1985 => CF/1988.

Percebemos que os EUA sempre tiveram uma única constituição. O estadunidenses possuem um grande espírito nacionalista. Isso se deve a este fato?
Bom, o que sei é que a inconstância política no Brasil trouxe progressos e retrocessos, de acordo com interesses e manifestações políticas. Atualmente, a soberania popular pode ser exercida através do voto secreto. A democracia tenta se consolidar neste exercício. Por que tenta? O que pode não garantir o exercício dessa soberania? Reflitamos acerca dessas assertativas...

quinta-feira, 1 de março de 2012

Sobre a reforma previdenciária

Soube que nossa presidente, a Dilma está organizando uma reforma previdenciária que será extremamente prejudicial àqueles que ingressarem como servidores públicos federais a partir de então. Haverá um teto remuneratório no valor dos proventos muito baixo. As pessoas terão que complementar suas aposentadorias com a previdência privada. Será possível que os sindicatos não se manifestarão acerca disso? É um absurdo que estas desvantagens venham a acontecer com os servidores públicos. É tão complicado passar num concurso público e ser nomeado, muitas pessoas deixam seus empregos e sua família de lado para poder estudar e depois esperando a recompensa de uma estabilidade aproximada ( visto que há casos para demissão - processo judiciário transitado em julgado, processo administrativo assegurada ampla defesa, redução do quadro de pessoal e má desempenho em avaliação periódica). Não compreendo como o governo pode trazer más notícias a uma classe, boas notícias nem pensar...
Vamos aguardar o que acontecerá...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Em busca de um novo emprego

É pessoal, decidi. Vou buscar um novo emprego. Preciso muito do apoio de vocês nisso. Sempre escutei:
- Nossa, você é muito inteligente!
ou então
- Você é uma batalhadora!

Porém, falta em mim confiar em mim mesmo.
Para conseguir o emprego como professora universitária tive que me empenhar muito. Fazer tudo que fosse preciso e fosse correto, ainda que me custasse todo esforço e dor do mundo.

Quando apredi meu pai, estava saindo de um casamento doentio, agressivo, um amor de adolescente fracassado. Após tentar,m e tentar que desse certo, e sofrer muito, talvez a morte do meu pai tivesse me trazido à realidade, foi como um insight de que o mesmo poderia contecer comigo.
Bom, saí desse passado falecido fugida, grávida e com um garoto pequeno. Deixei todas as minahs coisas materiais para trás e levei o que importava - meus dois garotos, meus tesouros.
Minha mãe, recém viúva, ainda passava por dificuldades financeiras, já que meu pai era o principal provedor da casa e também se encontrava emocionalmente destruída. Retornei a casa de minha mãe muito machucada e disposta a enfrentar muitas mudanças.
Logo que Pê nasceu, consegui um emprego temporário como professora numa escola municipal de uma cidade vizinha à minha. Meio turno, um salário mínimo, para ministrar aulas de História e Geografia num projeto de regularização do fluxo escolar. Em janeiro e fevereiro não tinha salário, já que não era efetiva. Era complicado trabalhar pela manhã em Itaquara, voltar para Jaguaquara à tarde e à noite estudar em Jequié. Nesta época cursava Pedagogia, apesar de todas as atribulações nunca deixei de estudar. Nada me impediu disso.
Foi difícil deixar os guris como uma babá e ficar sem tê-los por parte do dia e à noite, mas isso era necessário. Sempre conversei com os dois, explicando tudo que fazia, qual o motivo. Dizia que tudo era para nosso bem, que tinha que trabalhar e estudar para que pudéssemos melhorar de vida.
Por conta de meu desenvolvimento no trabalho tão logo consegui para 20 h semanais, com aulas de matemática e, dentro de um ano já havia me efetivado, conseguido um contrato com o Estado da Bahia para dar auals de matemática e Biologia e trabalhos como instrutora de cursos de inglês e matemática pelo SENAC. Nos finais de semana também ministrava aulas particulares de inglês. me empenhava em estudar para as disciplinas da faculdade nos finais de semana, pois trabalhava todo o dia em Itaquara, fazia facul a 60 kms desta e só retornava em casa por volta da meia noite, quando o ônibus me deixava das aulas. Cedinho tinha que viajar para trabalhar novamente. Mas os finais de semana existiam. Dentre estudos e planejamentos de aula ficava com os meninos, o que me dava muita paz.
Quando terminei a graduação fiz num mesmo ano duas pós graduações nos finais de semana e trabalhei muito durante as semanas. Tinhas turnos de 8:00 às 12:00, de 13:30 as 17:30; de 17:30 às 19:00 e, às vezes também à noite, de 19:00 às 22:00. Ou seja, não comia direito, não tinha tempo para pensar. Não doía nem chorava, pois não conseguia refletir sobre o quanto tinha coisas a dizer, a desabafar. Saía para beber com colegas. Esse era o único momento que podia sentir alívio, em meio a tanta responsabilidade.
Crianças pequenas constumam adoecer e dar muito trabalho! É muito complicado conseguyir boas babás. E ninguém leva a sério uma mãe solteira, com dois guris, ainda que fossem os guris mais lindos e maravilhosos que existem no mundo! Entre um problema e outro, aos finais de semana, entre o trabalho no dia de sexta, a aula da pós a noite e a manhã de sábado também com aulas ( que se estendiam até a manhã de domingo - pois eram duas pós graduações), tinha uma enorme vontade de ter uma vida tranquila e estar mais tempo com os meus bebês, mas nesse momento não podia, pois estava estudando a 50 km de lá e deveria estar em aula no dia seguinte.
Depois disso trabalhei em diversos lugares, cada vez melhores, como professora. Coordenei creche, escolas, dei assessoria em secretaria de educação, ministrei aulas em faculdade particular, universidade pública estadual até passar neste concurso - de docente de uma universidade federal. Peguei uma mochila, assumi o emprego, aluguei uma casa e, junto com meus filhinhos começei uma nova vida, pensando que tinha alcançado finalmente a felicidade.

Novas esperanças, novos rumos

Posso dizer que tenho buscado transcender os meus horizonte, novamente. Depois de tantos anos buscando o emprego perfeito, percebo que o que tenho não é aquilo que eu pensava ser. Sei que existem diversas pessoas nesta situação. Assim, não me sinto sozinha em buscar novos caminhos.

Graças a Deus não posso dizer o mesmo em relação a família. Quanto a esta só tenho o que agradeçer. É realmente um privilégio ter pessoas que me amam e me respeitam muito. Que conheçem meus defeitos, e foram testemunhas de meus erros. Pessoas que perdoaram os dias de mau humor e agradeçeram por cada comidinha feita. Nossa, é maravilhoso demais ter uma família e não me caso de agradeçer a Deus todos os dias, sempre. Claro que a convivência tem suas mazelas, mas tudo, por amor é superável.

Bom, mas nem tudo é do jeito que gostaríamos. Como sempre fiz, dou meu máximo em tudo que faço. Neste ano de 2012 buscarei não adoecer de stress novamente com o trabalho. Ano passado passei por muitos maus bocados. Me decepcionei com pessoas nas quais eu acreditava. Sempre fui de acreditar nas pessoas. A decepção me fez adoecer. O trabalho me fez adoecer. Insônia, queda de cabelo, neurodermatite, gastrite nervosa, choros constantes. Nada que boas férias não resolvessem. Estou de volta, inteira, depois de muitas orações e apoio de pessoas amigas, isto é tudo que alguém precisa para se levantar.

Gosto muito das pessoas que me cercam, mas não me sinto realizada no trabalho. Agradeço também pela oportunidade de ter um emprego, quantos não gostariam de tê-lo. Sei que dentro de algum tempo estarei num novo desafio profissional. A luta é grande, o caminho é árduo, mas nunca tive medo e nem hesitei em ecarar os desafios que avida me propôs. NUNCA. Posso dizer que o segredo é não pensar muito. E ir. E correr. E fazer. E às vezes chorar. Mas NUNCA desistir.
Tenho certeza que tudo dará certo. A menina ingênua e cheia de fé que existe em mim, sempre vive aqui. E desta maneira tudo sempre foi resolvido.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Da morte. Schopenhauer

"Que a mosca que agora zumbe à minha volta adormeceesta noite e amanhã recomeça a zumbir, ou se à noite ela morre, e na primavera uma outra moscanascida do seu oivo vem zumbir - isso é em si uma só e mesma coisa, e o conhecimento que apresenta tudo isso como duas coisas radicalmente distintas não é absoluto, mas relativo, é o conhecimento do fenômeno, e não da coisa em si. (...) Assim, a cada moneto no tempo, todos os gêneros animais, desde a mosca até o elefante, estão todos reunidos. Eles se renovaram muitas milhares de vezes, mas permanecem, a despeito disso, os mesmos. (...) Tal é a imortalidade no tempo. Em razão desta, a despeito de milênios de morte e decomposição, nada ainda se perdeu, nenhum átomo de matéria, e muito emnos uma só parcela do ser íntimo que se apresenta a nós como natureza."
Da morte. Arthur Shopenhauer

Feriado de carnaval

Eu e os meus preferimos ficar em casa, curtindo a TV a cabo, comendo pizza, coisas mais lights. Talvez eu quisesse toda essa lerezeira a muito tempo e não tivesse tido oportunidade... Bom, também preciso prosseguir na luta por um novo emprego. Sabe né, percebi que esse aqui não é meu sonho... É puro glamour para muita gente, mas não sinto aquela sensação de auto realização, vejo coisas que não gosto, sentimentos que não gosto e as pessoas que gosto não estão por aqui. Respeito quem me cerca, o local é muito interessante, mas não é o que sonhei. Então, não gosto desse emprego e ponto ( ufa, que desabafo!).
Tenho vontade de fazer algumas coisas, de conhecer New York (Uau!) e mais alguns lugares... Apenas. Mas só quando tiver disposta a encarar determinados transtornos. No momento tô enfrentando os encalçes dos concursos. Tenho ido mal... Sabe né, para chegar lá não dá para ficar mediana, tem que ser a melhor. Sei que no momento certo... mas às vezes o momento certo tarda demais. Pense que tive Bê e Pê faz uns 12 anos e faz uns 10 anos que tenho lutado na área de educação - é complicado...