Postagens populares

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Homens feios x bonitos

Já ouviram falar que quem ama o feio bonito lhe parece né?
Isso significa que não há um padrão de beleza na verdade, mas claro que existem aproximações dentro do que foi socialmente instituído. Existem homens que considero bonitos e minhas amigas não e vice-versa.
A questão que conta bastante não é a beleza em si mas o conjunto de características que instigam mais a cada mulher. O estereótipo geral de beleza é meio vazio, até porque o desejo feminino é suscitado a partir dos cinco sentidos ao contrário dos homens que têm uma significativa preferência pelo visual.
Claro q nós mulheres admiramos um belo rosto, peitoral ou bumbum, mas isso não limita o nosso desejo.
Quando a questão do tratamento dos homens as mulheres realmente percebemos que os homens menos favorecidos em relação a estetica se empenham mais em agradar a mulher amada em outros aspectos, mas isso tem várias exceções... isso vai do belo ao falo. Existem homens feios mas por serem terem o falo bem desenvolvido explanam seu "orgulho de macho" tratando as mulheres de maneira não agradável - ah, isso acontece meu bem! E outros homens entretando "compensam" seu desfavorecimento em termos de "cms" com mais carinhos, mais preliminares...
Já tive namorados feios e agradabilíssimos e outros insuportáveis (não dava para continuar o namoro com essa renca né?) e namorados lindos e chatérrimos...
Fala sério: o conjunto é q favorece. para mim inteligência e sabedoria são fundamentais!

domingo, 7 de fevereiro de 2010

A existencia nos conduz a caminhos lineares. Alguém surge p quebrar os ciclos e é resarchado! Um século depois se descobre essa nova verdade. Outro ciclo se constrói, um século depois... E quando surge outro transgressor, este também é resarchado! Thomas Kuhn já falava da quebra de paradigma e Bachelard q construção do conhecimento predispõe a superação dos obstáculos epistemologicos... O grande problema é que todo mundo ouve e não escuta...Todo mundo vê e não enxerga.. Às vezes é necessário um terremoto p que as pessoas saim da melodia dos ciclos lineares e sintam o bater das asas das borboletas